Seja uma Consultora Trilhas e ajude a melhorar a educação pública do país

Por: Blog Consultoria

Categoria: Institucional, Movimento Natura

17 fevereiro 2012

O Instituto Natura tem uma novidade para você Consultora e Consultor Natura! A partir de HOJE você pode se inscrever no projeto para se tornar uma Consultora ou Consultor Trilhas atuando em uma escola beneficiada pelo projeto, próxima a sua casa!

Agora, além das vendas dos produtos da linha Natura Crer para Ver, você tem mais um jeito de contribuir para a melhoria da Educação pública Brasileira.

A Consultora e Consultor Trilhas será uma voluntária(o) do projeto e tem como papel principal incentivar o uso dos materiais do projeto, acompanhando a chegada destes materiais, apoiando iniciativas da escola e atuando como agente de comunicação entre a escola e o instituto Natura.

Para se inscrever basta acessar www.portaltrilhas.org.br. As inscrições acontecem até o dia 20 de março. Sua participação é muito importante para a melhoria da qualidade da educação brasileira! Contamos com você! Veja o vídeo sobre o Projeto Trilhas e participe!

comentar (210)
compartilhar

210 respostas para “Seja uma Consultora Trilhas e ajude a melhorar a educação pública do país”

  1. Elenice Pereira Trindade disse:

    adorei saber que poderia fazer parte desse projeto como faço para me inscrever?

  2. Elenice Pereira Trindade disse:

    Não conheço o projeto, mas já sei que é bom

  3. Odair Dioniisio Pereira disse:

    Primeiramente quero parabenizar pelo belo projeto quem vem desenvolvendo nas escolas publicas e mais ainda em saber que minha cidade tem escolas do ensino infantil e fundamental que poder ser comtemplada, sou funcionário publico e trabalho na Diretoria de Educação e gostaria de representar com este projeto em nossas escolas, aguardo uma resposta positiva “trilhas do bom caminho”.

    • Olá Odair,
      tudo bem? A seleção de municípios e escolas beneficiadas já foi encerrada e a possibilidade de ampliação será avaliada futuramente. Em 2012 beneficiamos cerca de 2.000 municípios com a ampliação do Projeto Trilhas em parceria com o Ministério da Educação (MEC). A escolha dos municípios foi feita pelo MEC com os seguintes critérios: Municípios prioritários, ou seja, que tiveram nota baixa no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) – todas as escolas que possuem fundamental I; Grandes centros – todas as escolas que possuem fundamental I e Escolas com piores índices do IDEB dos municípios que não são prioritários. Mas qualquer pessoa pode se cadastrar no Portal Trilhas e acessar os cadernos do TRILHAS, através do site: http://www.portaltrilhas.org.br/PortalTrilhas.html Beijos

  4. maria heloisa pereira de abreu disse:

    e muito interessante esse projeto, pois vai ajudar o aluno a desenvolver o habito da leitura

  5. Eliene disse:

    gostaria de cer uma consutora

  6. Teresinha de Jesus Amorim Silva Cruz disse:

    Me sinto feliz em mais uma vez participar do encontro do Prjeto Trilhas, embora não sendo cadastrada referente ao primeiro encontro. Mas desejo cadastrar-me como Diretora.

  7. Maria Laide Encarnação de Souza disse:

    Estou graduando em pedagogia e estamos trabalhando a importância de contar historia em sala de aula. então gostaria de saber como faço para me escrever

    • Bia - Natura disse:

      Olá Maria Laide, infelizmente a seleção de municípios e escolas beneficiadas já foi encerrada e que a possibilidade de ampliação será avaliada futuramente. A escolha dos municípios foi feita pelo MEC com os seguintes critérios: Municípios prioritários, ou seja, que tiveram nota baixa no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) – todas as escolas que possuem fundamental I; Grandes centros – todas as escolas que possuem fundamental I e Escolas com piores índices do IDEB dos municípios que não são prioritários. Mas qualquer pessoa pode se cadastrar no Portal Trilhas e acessar os cadernos do TRILHAS, através do site: http://www.portaltrilhas.org.br/PortalTrilhas.html Beijo, Bia

  8. eufrazia disse:

    eufrazia dos santos andrade.amei a oportunidade que a natura esta dando para muits familias ,que muita das vezes nao tem nem como comprar seu material escolar para estudar,por isso que esse projeto e tao importante.E que esta preparando o futuro do nosso pais. Eu entendi que ;maria do socorro rodrigues disse que adorou o projeto natura ,e gostaria de fazer parte deste projeto.

  9. Fabiana Oliveira dos Santos disse:

    O projeto trilhas é de grande importancia para melhorar a qualidade de ensino nas escolas, pois nos deparamos muita dificuldades. O termo “dificuldade de aprendizagem” começou a ser usado na década de 60 e até hoje – na maioria das vezes – é confundido por pais e professores como uma simples desatenção em sala de aula ou ‘espírito bagunceiro’ das crianças. Mas dificuldade de aprendizagem refere-se a um distúrbio – que pode ser gerado por uma série de problemas cognitivos ou emocionais – que pode afetar qualquer área do desempenho escolar. Na maioria dos casos é o professor o primeiro a identificar que a criança está com alguma dificuldade, mas os pais e demais membros da família devem ficar atentos ao desenvolvimento e ao comportamento da criança. Segundo especialistas, as crianças com dificuldades de aprendizagem podem apresentar desde cedo um maior atraso no desenvolvimento da fala e dos movimentos do que o considerado “normal”. Mas os pais têm que ter cuidado para não confundir o desenvolvimento normal com a dificuldade de aprender. A psicóloga Maura Tavares Rech, especialista em psicoterapia infantil, afirma que “toda a criança tem um processo diferente de desenvolvimento – umas aprendem a andar mais cedo, outras falam mais cedo – e isso é absolutamente normal, não existe um ‘padrão’ de desenvolvimento. Portanto é importante que os pais respeitem o desenvolvimento geral da criança. Nesta fase o pediatra torna-se um grande aliado dos pais”, diz a psicóloga. Crianças com dificuldades de aprendizagem geralmente apresentam desmotivação e incômodo com as tarefas escolares gerados por um sentimento de incapacidade, que leva à frustração. Mojen (1999) afirma que, ao lado do pequeno grupo de crianças que apresenta Transtornos de Aprendizagem decorrente de imaturidade do desenvolvimento, existe um grupo muito maior de crianças que apresenta baixo rendimento escolar em decorrência de fatores isolados ou em interação. As alterações apresentadas por esse contingente maior de alunos poderiam ser designadas como “dificuldades de aprendizagem”. Participaria dessa conceituação atrasos no desempenho escolar por falta de interesse, perturbação emocional.
    A inadequação metodológica ou mudança no padrão de exigência da escola, ou seja, alterações evolutivas normais que foram consideradas no passado como alterações patológicas. Pain (1981, citado por Rubinstein, 1996) considera a dificuldade para aprender como um sintoma, que cumpre uma função positiva tão integrativa como o aprender, e que pode ser determinado por: 1. Fatores orgânicos: relacionados com aspectos do funcionamento anatômico, como o funcionamento dos órgãos dos sentidos e do sistema nervoso central; 2. Fatores específicos: relacionados às dificuldades específicas do indivíduo, os quais não são passíveis de constatação orgânica, mas que se manifestam na área da linguagem ou na organização espacial e temporal, dentre outros; 3. Fatores pirógenos: é necessário que se faça a distinção entre dificuldades de aprendizagem decorrentes de um sintoma ou de uma inibição. Quando relacionado ao um sintoma, o não aprender possui um significado do inconsciente; quando relacionado a uma inibição, trata-se de uma retração intelectual do ego, ocorrendo uma diminuição das funções cognitivas que acaba por acarretar os problemas para aprender; 4. Fatores ambientais: relacionados às condições objetivas ambientais que podem favorecer ou não a aprendizagem do indivíduo. Fernández (1991) também considera as dificuldades de aprendizagem como sintomas ou “fraturas” no processo de aprendizagem, onde necessariamente estão em jogo quatro níveis: o organismo, o corpo, a inteligência e o desejo. A dificuldade para aprender, segundo a autora, seria o resultado da anulação das capacidades e do bloqueamento das possibilidades de aprendizagem de um indivíduo e, a fim de ilustrar essa condição, utiliza o termo inteligência aprisionada. Para a autora, a origem das dificuldades ou problemas de aprendizagem não se relaciona apenas à estrutura individual da criança, mas também à estrutura familiar a que a criança está vinculada. As crianças que apresentam pobre desempenho escolar e atribuem isso à incompetência pessoal apresentam sentimentos de vergonha, dúvidas sobre si mesmas, baixos autoestima e distanciamento das demandas da aprendizagem, caracterizando problemas emocionais e comportamentos internalizados. Como é um problema que afeta pouco as pessoas ao seu redor, este comportamento acaba sendo banalizado, sem a devida atenção e importância. A timidez é considerada comportamento internalizado, aqueles expressos “para dentro”, como depressão, medo etc. Aquelas que atribuem os problemas escolares à influência externa de pessoas hostis experimentam sentimentos de raiva, distanciamento das demandas acadêmicas, expressando hostilidade em relação aos outros. Relatam ainda que os sentimentos de frustração, inferioridade, raiva e agressividade diante do fracasso escolar podem resultar também em problemas comportamentais. Esses relatos são próprios e também são observados pela família e pelos profissionais que fazem os atendimentos. A experiência escolar tem papel crucial na formação das auto percepções das crianças. Com isso, as que possuem dificuldades de aprendizagem apresentam um risco elevado de terem um autoconceito negativo em relação ao seu desempenho na escola. Outro ponto destacado são os problemas de socialização, elas têm menos habilidades sociais que seus colegas sem dificuldades de aprendizagem, e que estas persistem ao longo da vida escolar. É necessário que o psicopedagogo tenha um olhar abrangente sobre as causas das dificuldades de aprendizagem, indo além dos problemas biológicos, rompendo assim com a visão simplista dos problemas de aprendizagem, procurando compreender mais profundamente como ocorre este processo de aprender numa abordagem integrada, na qual não se toma apenas um aspecto da pessoa, mas sua integralidade. Necessariamente, nas dificuldades de aprendizagem que apresenta um sujeito, está envolvido também o ensinante. Portanto, o problema de aprendizagem deve ser diagnosticado, prevenindo e curado, a partir dos dois personagens e no vínculo. (Fernández, 1991, p. 99). Assim, cabe ao psicopedagogo voltar seu olhar para esses sujeitos, ensinante e aprendente, como para os vínculos e a circulação do saber entre eles.

    • malvina amaral santos disse:

      Concordo com o Melhorar a Qualidade de Ensino, mas tambem não Concordo com o Termo Dificuldade de Aprendizagem, mesmo sendo usado desde a década de 60. Porque realmente existe aqueles alunos que tem mesmo o espírito bagunceiro, como também tem aqueles aos quais também tem a dificuldade de aprendizado, quando não são disciplinados e corrigidos. Tenho um Trabalho Social em uma Escola, que já tive vários alunos: Bagunceiros, Frustados, Tímidos, Raivosos, Com Problemas nas Disciplinas Escolares, Mau Comportados na Sala de Aula, mas nada que nos Impedisse de uma PARCERIA, EU, O PROFESSOR, E A GESTORA. com isso A Maioria dos Alunos Melhoraram, Competiram, Foram Campeães e Melhoraram muito na Escola e na Própia Residência, Ficamos Felizes quando Recebemos os Pais para nos Agradecer pelas MUDANÇAS DOS SEUS FILHOS. PELO BOM DESEMPENHO NA ESCOLA E BOM COMPORTAMENTO DENTRO DE CASA. Fabiana As nossas CRIANÇAS TEM UM GRANDE FUTURO SÓ PRECISAMOS DE PARCEIROS DE VERDADE PELA EDUCAÇÃO NO BRASIL. Beijos MAL para quem me quiser como parceira.

  10. Heliana Maria disse:

    quando vai ser a reuniãoe qual é o endereço.
    Heliana

    • Bia - Natura disse:

      Heliana, vc já é uma consultora voluntária? Esse post é de fevereiro de 2012 e as inscrições para ser voluntária foram realizadas no ano passado. Se tiver interesse em participar de algum projeto nesse sentido, avise a sua Gerente de Relacionamento. Bjos, Bia

  11. Heliana Maria disse:

    quando vai ser a reunião, e qual é o endereço?
    Heliana

  12. Maria Badelote disse:

    O Brasil, o PlanetaTerra, precisa de pessoas, profissionais que fazem a diferença.

    Parabéns, Guerreiras.

  13. LÍVIA EMANUELLE DOS SANTOS BARBOSA disse:

    adoraria participar dessa corrente do bem.

  14. LÍVIA EMANUELLE DOS SANTOS BARBOSA disse:

    todos juntos por uma boa causa, vai fazer a diferença.

  15. Marlenilce Viana de Oliveira disse:

    Desejo receber o material do Projeto Trilhas.

Deixe uma resposta